Friday, May 09, 2008

A escolha errada...


Porquê? Esta é a minha pergunta... Porquê? Por que é que as pessoas não querem viver mais? Pergunto isto porque, a cada dia que passa o número de jovens que se suicidam aumenta...muito... À poucos dias recebi uma notícia que me deixou bastante triste: a filha de um professor meu da universidade, com apenas 15 anos, tinha-se suicidado. Nem sei explicar o que senti...só me perguntava PORQUÊ? Será que não existem mais razões para querer viver do que para querer morrer??? Por mais grave que seja a situação, seja ela qual for, há sempre uma saída, há sempre uma solução. Aliás, na vida só não há solução para a morte, de resto tudo na vida tem solução. Outra coisa muito importante, e que nós não gostamos de pensar nem de falar é uma verdade pura e dura mas vou dizer: quando nascemos a única coisa que temos certa na vida é a morte, por isso por mais voltas que o mundo dê um dia tudo acaba, desculpem dizer isto sei que é muito forte mas é verdade. Por isso enquanto cá estamos devemos tentar aproveitar o melhor que a vida tem para nos dar e nunca, mas nunca desistirmos. As pedras que surgirem no nosso caminho devemos utilizar para construir degraus que nos levam mais longe nesta caminhada que é a vida! Nunca desistam...

Andreia Mestre

6 comments:

X-Filer said...

Eu sei o que pode levar uma pessoa ao suicídio. Não que alguma vez tenha pensado em tal coisa mas, por exemplo, quando se entra numa depressão profunda e nos sentimos tão sós e isolados do resto, aí viver deixa de fazer sentido porque, por muito que nos digam que é diferente ou para onde quer que olhemos, não se cnseguever nada à nossa frente.
Eu falo disto porque, por uma horrível conjunção de factores simultâneos, estou a fazer tratamento a uma depressão em que entrei no final do ano passado. Agora estou muito melhor mas,acredita que nessa situação ualquer que seja o problema que ponha alguém nesse estado este É, na sua cabeça, insolúvel. E não se aceita o que os outros dizem. Só a SUA verdade É a verdade. Por isso é que, quanto mais só e isolado se sente, de facto, mais isolado se quer estar. A "escuridão" passa a ser o único conforto. E quando esta condição passa despercebida (ou pelo stress dos pais - no caso de jovens - ou pelo isolamento físico que se tem das outras pessoas - como é o caso dos idosos), esta torna-se irreversível e entra-se numa espiral que só tem um sentido: para o fundo. Onde nada existe. É nesse local que o fim faz sentido, pois sente-se que nada existe para além da infindável tristeza.
Eu sei que o que escreveste É o correcto e é verdade. Mas quando se está emocionalmente tão abalado, é precisamente o facto de a morte ser a única coisa CERTA que temos na vida, que prefere-se o conforto da certeza da morte a continuar a viver na amargura.
Desculpem lá a seca e a frieza mas ainda há muito pouco tempo houve um amigo meu que se tentou suicidar e até certo ponto, dado a minha condição de então, até compreendi os seus motivos (embora não aprove nem ache razoável o que ele fez de modo nenhum!).

E já agora, muito vem vindas de volta! O blog está com um look espectacular e espero muitas e frutuosas postas por estes lados, pois eu vou de vaz em quando passar por cá e deixar a minha "caca".

Dark_Angel said...

Quando soube da triste notícia "porquê" foi apenas o que ocorreu..."15 anos, porquê??".Uma vida inteira pela frente, assim terminada abruptamente. nao consigo dizer mais nada...

Andreia, gostei muito de te "ler" por aqui, apesar do assunto menos feliz de que falas, e que a todos certamente nos tocou a todos.

Espero que esteja tudo bem contigo :) Beijinhos!

Ana Isabel said...

Pois é.... também eu fiquei em estado de choque quando soube a noticia...e nem me passou pela cabeça o porquê, já que aos 15 anos até o facto de não saberem que roupa hão-de escolher para vestir se pode tornar num drama....
A unica coisa que me veio a cabeça foi.. e os pais? k sentirá um pai ao saber que o filho não ker viver mais? culpa por não se ter apercebido? impotência por não ter sido capaz de lhe dar um motivo maior para viver? remorços por talvez se ter apercebido que algo estava mal mas pensar "é uma fase de adolescente...isso passa-lhe"? Não consigo imaginar a dor que deve ser....
Eu também concordo contigo Andreia, por muito dificil que sejam as coisas há que olhar em frente e de cabeça erguida. Haverá sempre um luz ao fundo do tunel, por muito pequenina que possa parecer.

bjs.

Sofia said...

Qdo soube da notícia fiquei chocada por tudo: por se tratar de um professor mto querido por nós; por se tratar de uma rapariga de 15 anos; por ter acontecido nas circunstâncias que aconteceu (dia da mãe).
A minha primeira pergunta também foi: PORQUÊ??? Custa-me a aceitar que uma jovem com tanto para viver, opte pela morte...
Não calculo a tristeza profunda pela qual esta rapariga estaria a passar para cometer tal acto de desespero.
A lição que retiro deste trágico acontecimento é que temos que manter uma visão optimista sobre tudo, mesmo que à primeira vista pareça impossível; temos que fazer um grande esforço para levantarmos a cabeça e resistir à força que teima em baixá-la; temos que olhar em redor e procurar as soluções que aí estão e, caso elas não estejam, por aí, temos que vasculhar e procurar ainda mais, e com mais força e se elas continuarem sem aparecer, temos que ter força e criatividade para inventarmos novas soluções. Temos que manter em mente que tudo não passa de uma fase e que vai passar se nos esforçarmos um bocadinho mais. Eu sei que não passam de palavras, mas pensar assim já é meio caminho andado para manter afastado esse fantasma da depressão.
Digo isto pq tenho consciência que todos somos susceptíveis a este fantasma q ataca em silêncio.

Andreia said...

Olá amigas Bioquímicas! Só vos queria mandar muitos beijinhos e um grande abraço cheio de saudades. E nunca se esqueçam que estamos cá para o que der e vier... Adoro-vos... Andreia Mestre

X-Filer said...

Eu não sei se foi o caso ou não. Sublinho que não conhecia nenhuma das pessoas "envolvidas" na história, quer directa, quer indirectamente, mas vou encostar-me à minha tese da depressão, que é a mais usual.
Antes de mais pergunto: alguma de vocês já passou por uma depressão? Sabem o que é estarem num túnel muito escuro e não verem luz ao fundo? É claro que devemos encontrar motivos para continuar, para ultrapassar o sucedido (seja lá o que foi), mas nestas condições (e em especial aquelas depressões alfa -acho que é como se chamam- que são muito profundas e auto-destrutivas na sua essência), é particularmente complicado saír se não houver apoio constante e e(a)fectivo!
Bom, já chega de ser dark e vou deixá-las em paz. Só quem por ela passou sabe como é. Eu sobrevivi. Como muitos outros.

Que a caca esteja convosco...